A Ligação à terra ou Aterramento, como é mais comumente conhecida (PAT), é um cabo, geralmente verde e amarelo que se deve ser usado em todas as tubulações elétricas de uma residência. Este cabo resguarda o circuito de fugas de corrente, que pode acontecer por causa fios que foram desencapados ou artefatos elétricos em massa. Quando existe uma corrente de fuga que vai por este cabo-terra, trabalha o interruptor diferencial, deixando com falta de energia elétrica de todo o circuito da casa.

Porque fazer aterramento em sua casa?

Em várias circunstâncias, a PAT pode proteger vidas. Já ouvi relatos onde uma máquina de lavar estavam recebendo alimentação elétrica no chassi por um cabo desencapado no seu interior e, no instante em que uma pessoa tocou na máquina de lavar, foi surpreendida por um choque. Também pode ocorrer que, no interior dos canos de energia elétrica, tenha um cabo desencapado e, se ele perdeu corrente, mesmo que seja pequena, não é para acontecer. Com um aterramento bem feito no circuito elétrico de toda a residência, essas “surpresinhas” nada agradáveis não acontecem.

haste-para-fazer-aterramento

Como fazer um aterramento numa casa que ainda não possui?

Insira num fio-guia um cabo de 1,5mm por dentro de todos os canos de sua casa. Quase todos os equipamentos eletrônicos, como lustres, ventiladores ou apliques trazem um cabo verde e amarelo. Ligue esse cabo ao fio terra que está colocando. Se você possui um porta-lâmpada simples, parafuse o cabo de PAT ao octogonal, com um terminal, como em caixas retangulares, onde possui somente interruptores. Se tiver tomadas de três furos, conecte o cabo no terceiro borne.

Agora, não esqueça: o cabo de PAT deve ir conectado em todas as caixas de instalação elétrica interligados.

Por último, o cabo também deve estar na placa principal e os demais, se existirem, deve aparafusar o cabo com um terminal a da caixa da placa principal e, de lá, trazer um cabo desencapado para a lança, depois de aterrá-lo com um martelo ou massa na terra. Para melhorar a condutividade do terreno, é aconselhável que, antes de realizar o serviço, se coloque sal.

Share This:

Existe melhor coisa do que aprender uma nova profissão de forma prática? É bem mais divertido não é? E, além disso, você vai decorando o novo conhecimento de maneira mais fácil. Começaremos este mini curso iniciando com os circuitos mais simples, que se podem encontrar em qualquer residência, como, por exemplo, um criado mudo (para quem usa, rsrsrs) ou de uma luz que acende com um interruptor. Além disso, conforme for lendo os artigos do mini curso de eletricidade, vamos ter compreendido alguns aspectos teóricos que ajudarão você a entender como e por que funcionam os trabalhos práticos que iremos desenvolver.

 

Nota: Este artigo será apenas para ligar todos os artigos do mini curso, como um índice.

Lição 1: Como montar o circuito de um criado mudo

Por mais simplório que pareça esse circuito, me deparei com problemas em diversas casas que visitei, por uma conexão mal feita do circuito. Além disso, este circuito é o equivale ao que permite acender a luz em seu imóvel.

Lição 2: Como conectar a uma tomada de corrente

Há diversos tipos de tomada de correntes, porém, os regulamentares, sempre trazem três pernas. Uma terra para outra para fase e outra para o neutro. Neste artigo vamos demonstrar-lhe como conectar os três cabos.

Lição 3: Como conectar um interruptor a tomadas na mesma caixa retangular

Se você já fez a leitura dos dois artigos acima, provavelmente, você já aprendeu como ligar um interruptor e uma tomada separadamente. Contudo, ligar os dois em uma mesma caixa retangular na parede tem uma peculiaridade e, neste artigo, vamos saber do que se trata.

Share This:

Porque a Partida Estrela Triângulo consegue reduzir a corrente de partida? Vamos falar sobre esse assunto hoje.

Meu nome é Everton Moraes do Portal Sala da Elétrica e hoje nós falaríamos então sobre o por que a partida estrela triângulo consegue reduzir a corrente no momento da partida do motor elétrico trifásico. Pra fazer isso eu vou desenhar aqui na lousa os fechamentos estrela e triângulo propriamente dito. Vem aqui na lousa comigo:

Então, como você pode observar, o desenho aqui na lusa há um fechamento estrela e um fechamento em triângulo. Pra você já conhece o motor elétrico trifásico, você já sabe como é um fechamento estrela, o curto-circuito das pontas 4, 5 e 6 e alimento o 1, 2 e 3 respectivamente. Logo, nós temos esse fechamento conforme a figura:

fechamento-estrela
Desenho do Fechamento Estrela

Desse outro lado nós temos um a um fechamento em triângulo ou, logo, nós temos aqui a 1 e 6 conectados, alimentado pela fase “L1”. O 2 e 4 conectados alimentados pela fase L2 e o 3 e 5 alimentados pela fase L3.

fechamento-em-triangulo
Desenho do Fechamento em Triângulo

Sabemos que, por exemplo, o motor elétrico cujo nós tenhamos como demonstração aqui um motor que tenha as ligações 380/220 volts, teoricamente, o sistema de fechamento em triângulo é responsável pela alimentação de menor tensão, ou seja, 220 volts. A estrela é o fechamento para alimentação de maior valor de tensão que seria 380 volts. Logo, 380v seria para o estrela 220v para o triângulo. Mas, quando a gente tem um fechamento estrela-triângulo, o nome já fala por si só: inicialmente o motor parte em formato estrela e depois ele vai para o formato triângulo propriamente dito.

Mas como ele é capaz de reduzir corrente de partida num momento em que o motor iniciou seu movimento em seu trabalho de rotação?

Quando a gente observa o nome Partida Estrela Triângulo, eu preciso de um motor que tenha seis terminais, que é o nosso caso aqui: tem seis terminais para conexão.

Eu vou alimentar esse motor. Mas porque eu preciso desse motor de seis terminais? Para que seja possível eu ter duas tensões de trabalho. Na maioria das vezes é 220/380 volts para nossa realidade do Brasil, especialmente.

Nós temos aqui um motor que tem a capacidade de trabalhar em 220/380 volts e eu faço a ligação com estrela inicialmente. Então, eu vou partir do motor elétrico, inicialmente, num fechamento estrela, mas alimentando em 220 volts. Depois de um dado o tempo, ou seja, 5, 10 ou 8 segundos ele vai ficar com o fechamento em triângulo, que é o fechamento, na verdade, padrão para ele funcionar.

Como assim padrão comum?

Se eu for colocar uma partida estrela pra funcionar o motor, esse motor é um motor que trabalha em 220 volts, com esse nosso exemplo, ou seja, com menor nível de tensão, mas inicialmente eu faço ao fechamento em estrela. Vamos tentar entender um pouquinho só isso aqui. Pra ver você ter uma ideia, esse fechamento em estrela aqui ele está apto, ele está responsável, para o motor, para ele recebeu o maior nível de tensão. Então, teoricamente, quando eu alimento aqui com os 380 volts que seria o padrão, não é isso que acontece na parte de estrela triângulo, só pra vocês entenderem o funcionamento interno das bobinas aqui. Quando o alimento com 320 volts, nós temos aqui então uma divisão entre as fases da tensão total. Queda de tensão concorda comigo que eu tenho a tensão entre a L2 e à eu tenho mais ou menos uma associação cerne das minhas bobinas dominam e dominadores, por exemplo, você pode observar eu vou ter aqui um divisão da tensão e 380 volts na segunda parte aqui da bobina nós receberemos então uma outra parcela dessa tensão de 380 volts.

Não é metade da tensão que nós temos dado o fornecimento da fonte, mas é uma tensão raiz de três vezes menor. É o que chamamos aqui de tenção de fase VF e esse aqui é tensão de linha, que é a tensão da fonte alimentadora da rede de alimentação. Nesse caso nós teríamos seguinte: a tensão de fase ela é igual a 380v dividido por raiz de 3. Isso vai me dá um valor aproximado de 220volts. Essa é a maneira correta do Fechamento Estrela trabalhar. Então, independente de alimentar com 380v, na bobina, ou seja, na fase, na bobina do meu motor, vai ter o 220v. Se eu ligar num motor e fechar em triângulo, que é a forma correta de fazer, eu teria 220v, concorda que o L1 e o L2 estão diretamente paralelos, conectados pela bobina?

Enquanto está diretamente conectada com suas em paralelo quando se está diretamente conectado que vamos ser os do executivo que serão exatamente os 220 volts que passamos aqui. Logo, olha que interessante: da mesma maneira que na estrela o motor trabalha com uma bobina recebendo 220 volts, que é o que calculamos aqui, no triângulo ele também recebe os mesmos 220 volts, só que, o fato de fazer o fechamento, vai proporcionar com que essa tensão seja reduzida, estrategicamente, em função da associação dos meios de rolamento.

Agora na parte de Estrela Triângulo, o que fazemos?

Aqui, nós fechamos em estrela e, ao invés de alimentar com 380 volts, não vou ligar com 380 volts. Eu faço a ligação, na verdade, a alimentação em 220 volts. Se eu alimento meu motor com 220 volts olha que interessante: ao invés de ter 380 agora tenho desde 220. Logo, a questão de fase, não vai mais ser 220 volts, porque não é mais 380 volts que eu estou alimentando o sistema. Então a minha tensão de fase vai ser igual a 220v, que algo estou alimentando aqui na minha rede de alimentação do sistema trifásico de 220 volts, dividido por raiz e três, vou ter uma tensão de fase de aproximadamente 127 volts na bobina. Então, tem 127 volts na minha bobina.

A bobina não é pra receber 220 volts para o trabalho normal e correto do nosso motor?

Sim, então eu teria que ter 220 volts ligado à bobina. Mas na Partida Estrela Triângulo, no início, aqueles primeiros dez segundos que depende do motor eu vou ter, na verdade, 127 volts. Aí fica bem claro pra gente: se eu tenho uma diminuição da tensão, respectivamente, eu vou ter uma redução também da corrente gerada internamente nessa bonina.

Imagine comigo que eu tenho um valor “X” de resistência na bobina, uma resistência fixa da bobina, a corrente elétrica vai diminuir também. Agora isso não pode ficar funcionando durante muito tempo, por isso, eu tenho tempo de 10 segundos. Depois que faço essa migração, vamos dizer assim, do fechamento estrela para o triângulo, ou seja, pra esse modelo aqui, aí sim eu volto a ter como alimentação os 220 volts, ou volto a ter 220 volts no meu fechamento do meu motor e ele funciona com a corrente nominal. Logo, nós fazemos essa ligação estrela somente no início da partida do nosso motor elétrico trifásico.

 

Bom, espero que você tenha entendido o porquê dessa redução da corrente de partida no motor trifásico quando a gente faz o fechamento Estrela-Triângulo. A ideia foi, realmente, mostrar pra algumas pessoas que estavam me perguntando como é que essa redução de corrente. E se você quiser conhecer mais alguma coisa sobre a partida de estrela triângulo, você tem aqui no nosso nossos canais de comunicação, seja Facebook ou na Sala da Elétrica, vários assuntos sobre a porta partida elétrica como um todo.

Share This:

Por mais simples que possa parecer, este circuito elétrico já tive dificuldades em várias residências que fiz atendimento, por uma conexão mal feita de circuito. Esse circuito é o mesmo circuito que torna possível você acender e apagar uma luz em sua residência.

Materiais necessários:

  • 1 cabo paralelo
  • 1 interruptor
  • 1 porta lâmpada

Instrumentos que você vai necessitar:

  • Alicate
  • Pela-cabo
  • Busca polo
  • Lâmina

O circuito esquemático

circuito-esquematico

 

Desenvolvimento

Como percebemos, o circuito é simples, um interruptor ou chave fazem o corte e passagem de corrente que alimentasse a carga, neste caso, a lâmpada, a linha se conecta a uma das patas do plugue e o neutro para a outra. Para que a lâmpada funcione deve estar conectada a fase e neutro, e é indiferente se a chave ou o ponto cortam a fase ou neutro (com o busca polo reconhecemos a fase e o neutro), neste caso, o graficamos assim, por que é melhor para a segurança das pessoas, já que se alguém vai mudar um foco queimado e a chave está aberta, não haverá fase em suportes para lâmpadas e, se por acaso a pessoa tocasse os metais internos do líder (que só tem neutro), não haveria corrente, portanto, não há risco de eletrocussão. De todas as maneiras, sempre é melhor cortar a energia da casa, desde o interruptor térmico e disjuntor antes de fazer um trabalho de eletricidade.

É importante colocar um cabo ligado à carcaça metálica do criado mudo e, então, liga-los ao fio terra, ou seja a terceira parte do plugue.

desenvolvimento-do-circuito

Funcionamento

funcionamento-do-criado-mudo

Este circuito é o mesmo que permite que ligue uma luz em sua residência, só que em circuitos utilizados em casas, os condutores são mais longos.

circuito-eletrico

Aqui vemos uma imagem onde mostramos os cabos que iriam para dentro do cano de energia elétrica, para que você possa ver como é a instalação do circuito.

O funcionamento é o mesmo que em um criado mudo. Um interruptor acende a luz de um quarto, a alimentação, ou seja, fase e neutro é tomado do tabuleiro onde se encontra a térmica e o interruptor diferencial.

A seguir é uma imagem de como seria a principal interna da sala.

esquema-do-circuito-residencial-2

Bem esta é a primeira lição prática para começar o mini-curso de instalações elétricas domésticas, se tem dúvidas, mande um e-mail e tentaremos responder o mais rápido possível.

Share This:

Quando faço amor com meu namorado e minha vagina faz barulho como de gases e não posso evitá-lo. É realmente constrangedor. Isso é comum? Será que tem solução?” P. G. E.

A princípio, pode ficar tranquila: é muito mais comum do que você pode imaginar. Não é nada de anormal que, durante a relação sexual, aconteça de entrar ar na vagina da mulher e produzam ruídos, seguido de um certo “som” chamativo, que por vezes deixam as mulheres acanhadas.

Há alguns fatores que podem influenciar que isso ocorra: a posição que ficamos na penetração, o frenesi dos movimentos sexuais, etc.

O ar pode ficar preso nas dobras da vagina durante o coito, e, quando escapa, pode soar como se escapassem gases devido a que as paredes vaginais são úmidas e formam um pequeno selo entre elas. Em muitas ocasiões, o ar escapa enquanto se realiza o sexo ou quando a vagina está relaxada e descontraída, uma vez que se tenha concluído o ato sexual.

gases-pela-vagina

Não há nenhum motivo de preocupação quando se produz e o que temos de tentar não prestar muita atenção ou até mesmo, muito melhor, tomá-lo com senso de humor e rir com o nosso parceiro.

Aconselho-te que não tente disfarçar ou ocultar os ruídos de sua vagina, isso fará com que não se relaxe, nem você se sentir confortável na relação sexual e, em consequência, provavelmente não desfrutar plenamente do momento. Aceite como algo natural e não adote, na relação sexual um papel de “espectador” com relação ao que está acontecendo no seu corpo. Viva – não observe – e viva o “aqui e agora” ao abandonar as sensações maravilhosas de prazer que você chega todos os seus sentidos corporais.

Minimizar a entrada de ar na vagina

Como nos perguntaram algumas soluções, vamos ajudá-la com estes recursos sexuais que, para alguns casais, mostraram ser eficazes. Embora você não poderá controlá-lo totalmente, sim, que há pequenas estratégias que podem ajudar a minimizar a entrada de ar na vagina. A melhor delas é conversar com seu parceiro e, juntos (se para os dois isso é irritante), você pode ensaiar novas estratégias para minimizar a entrada de ar na sua genitália. Em primeiro lugar, é bom que vocês sintam, com novas posturas e modifique aquelas que deixam entrar mais ar na sua xoxota.

Posições mais e menos desejáveis

Em geral, a penetração vaginal por trás, com a mulher apoiada sobre os joelhos e mãos sobre a cama ou qualquer superfície – chamada popularmente de “cachorro” – é menos aconselhável, porque permite a entrada de mais ar na vagina. Também é benéfico que o homem nos movimentos sexuais, não retire totalmente o pênis da vagina, desta forma se evita que, durante a penetração se introduza tanto ar. E, dado que o problema costuma aparecer – a expulsão de ar, com seu irritante ruído – depois que o homem retira o pênis da vagina, você pode inserir um dedo em sua xoxota para abrir o canal, para que, desta forma, o ar escape em silêncio.

De todas formas, não se prenda com o tema e não o preste muita atenção, tomá-lo como algo normal na prática das relações sexuais. Às vezes o melhor é discuti-lo de forma natural com o casal e informar por que acontece. Desta forma, a confiança e cumplicidade sexual entre vocês irá aumentar. Levar com bom humor é, sem dúvida, é o melhor remédio! O riso e o sexo são sempre bons aliados.

Share This: